quarta-feira, novembro 22, 2006


André Kertész, Meudon, Paris, 1928

___

12 comentários:

hfm disse...

Grande fotografia!

Gustavo disse...

¿de dónde sacas estas fotos tan antiguas y raras? Felicitaciones

Lis disse...

Vai parecer ligeiro face à beleza da foto, mas não achas que os homens no início do século andavam smepre muito bem vestidos? De fatinho, chapéu...que classe!
Gosto do contraste da nova ponte com as velhas casas.
Xi

Isa disse...

Outra foto magnífica! A ponte ao longe...soberbo...

Bom fim de semana amiga. Tranca as portas :)

Beijos

Luísa R. disse...

Helena,
Pois é! :O)
O André Kertész é muito bom.

Luísa R. disse...

Gustavo,
Segredo...

:O)

Felicitaciones para ti também!

Luísa R. disse...

Lis,
Foste muito ligeira! :O)
E acho que sim.
Outros tempos, outros tempos...

Também gostei do contraste das velhas casas com a nova ponte, assim como as direcções opostas do homem e do comboio.

Hei-de postar outras fotog. do André Kertész onde se vê outra vez a tal oposição (de movimento e não só - como se os objectos da fotografia fossem negativos um do outro. Muitas vezes, em realidades simultâneas, paralelas e, ao mesmo tempo, opostas)

Luísa R. disse...

Olá Isabel,
Grande fotog., não é? :O)
(E também tenho de calafetar as janelas. Parece que tenho a casa no pólo norte...)
Beijos

Bandida disse...

Fantástica imagem!

...




abraço!
_________________________

Luísa R. disse...

Bandida,
Um abraço para ti também :O)

pedro disse...

sabes o q me fez lembrar esta foto, sabes, sabes, sabes, sabes? ... beleville rendez-vouz ;o). agora vou ao blog "de autor" ehehehe. beijos

Luísa R. disse...

A mim também! eheh
Só falta um cão com meio neurónio, de olhar esbugalhado e empoleirado de uma janela das águas-furtadas a ladrar desvairadamente ao comboio!...
beijos